Velas

Desde da pré-história quando os primeiros seres que habitaram os seres descobriram batendo duas pedras ou entre o atrito de dois galhos de árvore das faíscas poderiam manter com alguma coisa carburante podiam fazer fogo se deduz que esse fogo de alguma maneira para não se apagar utilizaram alguma tripa de animal dentro de algum recipiente cheio de gordura assim nasceu a vela, muita antiga em ??? pois é, assim foi encontrada em algumas dessas cavernas pintadas pela mão do nosso primitivo homem. Assim foi para sempre a escuridão – A escuridão do ser, a escuridão da terra, a escuridão do não conhecimento.

E o homem por um milagre vai acordando.

A palavra vem do latim que significa vigiar/cuidar/observar e um significado mais profundo e nobre o que nos tira da escuridão/trevas. Mais tarde se sabe apenas que esse mesmo homem vivia entre sacrifícios e holocaustos. E esse mesmo objeto, a luz que Lhe veio iluminar e substituir os sacrifícios de sangue por, um pouco de cera, gordura animal, um pavio e um fósforo para acender.

Dessa forma o corpo físico, o sangue foi substituído pelo ardor e devoção sendo apenas um objeto para iluminar, os sentidos se misturam conforme cada individual indivíduo, resultando de todas as maneiras com sua simplicidade, a essência.

Resultado de uma atitude compreensiva da clareza da mente que se abre para penetrar no inconsciente e o fertilizar. O mesmo simbolismo compartilhado pela chama dos aniversários; as etapas no caminho da perfeição; ou apagar das chamas da vela um único sopro significa a persistência a tudo que foi vivido da vida superior apenas com um só sopro. Quando vizinha um corpo sem vida é o espírito que retorna a Grande Luz.

A vela é um pedido, um desejo, um ritual, o respeito, a aceitação, a adoração, a estimação, a chama do amor que se queima dentro dos corações que nos iguala; A Criatura ao Criador. Símbolo da consumação, luz para o mundo sem o caso.